Atualidades

Curso: O que será do Amanhã? Moda Revolução e Política

quarta-feira, abril 10, 2019

O QUE SERÁ DO AMANHÃ? MODA, REVOLUÇÃO E POLÍTICA O curso teórico O que será do amanhã? Moda, Revolução e Política, ministrado por Brunno Almeida Maia - pesquisador em filosofia pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), residente do NECMIS 2018 (Núcleo de Estudos Contemporâneos do Museu da Imagem e do Som) e idealizador do projeto “A Literatura e a Moda” - investiga as relações existentes entre a Moda, os processos revolucionários, e a ação política ao longo dos séculos XVIII ao XXI. A partir do desfile “Protesto” (1971), do acervo da costureira Zuzu Angel, e do atual momento da Moda e da conjuntura política nacional e internacional, o curso entrelaça a história da Moda, a filosofia e a sociologia, com coleções, movimentos de vanguardas e acontecimentos históricos que causaram, a partir da Modernidade, rupturas no sistema da Moda, e que influenciaram a vida social, cultural, artística, política e econômica, num diálogo com autores como Walter Benjamin, Gilles Lipovetsky, Peter Stallybrass, Michel Pastoreau, Karl Marx, Hannah Arendt, Roland Barthes, Georg Simmel, Marcel Proust, Virginia Woolf, Marina Colasanti, Stefan Zweig, Norbert Elias e Zygmunt Bauman. 

RESUMO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: - Conceituações: O que é Moda? O que é revolução? O que é ação política?, a partir de Gilles Lipovetsky e Hannah Arendt; - Notas sobre o contemporâneo: A moda e as suas relações com o tempo e a consciência histórica, a partir de Walter Benjamin e Giorgio Agamben; - A presença do historicismo no New Look de 1947 de Christian Dior; - A arqueologia e a cartografia nos trabalhos da Balenciaga, em 2007, e de Alexandre Herchcovitch, de 2001; - O desfile “Protesto”, de 1971, de Zuzu Angel, e a coleção “Quem matou Zuzu Angel?”, de Ronaldo Fraga, de 2001; - Moda e Modernidade; - O declínio da Moda Aristocrática com Marie Antoinette e a depuração das vestimentas pelos jacobinos na Revolução Francesa; - A estetização da existência e a roupa como contestação dos códigos burgueses pelo dandismo no século XIX; - As revoluções do século XIX, e a história do jeans como peça-chave da classe trabalhadora, e dos movimentos de contracultura dos anos 60; - As coleções de Yves Saint Laurent, André Courrèges, Paco Rabanne e Pierre Cardin influenciadas pelo Maio de 1968; - Sobre a “roupa de artista”: o surrealismo, o dadaísmo e futurismo como movimentos de vanguardas poéticos e políticos; - Diálogos entre a história da listra no ocidente, Primo Levi e Auschwitz, e o trabalho do artista plástico Christian Boltansky; - Corpo, Moda e Gêneros: as atuais discussões da “moda sem gênero”, e a importância de mulheres protagonistas na história da moda, como Jeanne Lanvin, Gabrielle Chanel, Madeleine Vionnet, Elsa Schiaparelli, Alix Grés, Rei Kawakubo, 5 Vivienne Westwood, Miuccia Prada, Donatella Versace, Zuzu Angel, Clô Orozco, Condessa de Castiglione, Annie Leibovitz e Sarah Moon; - A relação dos movimentos feministas e de contracultura, que subverteram certos códigos e padrões do vestir com uma “revolução” no guarda-roupa.

BRUNNO ALMEIDA MAIA: Pesquisador em Filosofia pela UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), foi pesquisador residente do NECMIS (Núcleo de Estudos Contemporâneos do MIS – Museu da Imagem e Som), docente da cadeira “Expressões Artísticas Contemporâneas”, no Técnico de Produção de Moda do SENAC Lapa, professor convidado do Departamento de Pós-Graduação, Extensão e Cursos Livres da FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado) e do Centro Universitário Belas Artes. Já ministrou aulas sobre a relação entre a literatura e a moda em espaços como Oficinas Culturais Oswald de Andrade, Oficina Cultural Casa Mário de Andrade, Sesc Consolação, Sesc Pompéia, Sesc Ipiranga, CPF – Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, Sesc Jundiaí, Casa da Palavra Mário Quintana, em Santo André (SP), Oficina Cultural Hilda Hilst, em Campinas (SP), Galera AMDO, em Belo Horizonte (MG), Biblioteca Mário de Andrade, Fábricas de Cultura, Biblioteca Pública Pedro Nava, Escola São Paulo. É autor do livro “O Teatro de Brunno Almeida Maia” (Editora Giostri, 2014). Também assina capítulo sobre a relação entre a literatura e a moda no romance Lucíola (1862) de José de Alencar no livro “Moda Vestimenta Corpo” (Editora Estação das Letras e Cores, 2015), e é um dos autores da antologia “São Paulo em Palavras” (Editora Aquarela Brasileira, 2017). Foi facilitador pedagógico do módulo I de formação em Cidadania e Direitos Humanos do Programa “Transcidadania”, uma iniciativa da Prefeitura Municipal de São Paulo, com a CADS (Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual) e Centro de Cidadania LGBT SP.

Dia 30 de março às 15:00 hrs

Investimento | R$ 330,00 - 30  vagas

Mais Informações pelo e-mail: zuzuangel@zuzuangel.org.br


Inscrições clique aqui

Zuzu em

Atualidades

noticias

Falecimento do Acadêmico de Moda: Rui Spohr

" Faleceu em Porto Alegre, o Acadêmico da Moda Rui Spohr. A Academia da Moda emitiu nota de condolências.

Cursos

A história da Moda carioca - um Tour por várias décadas

Um Tour por várias décadas da história da moda Carioca, finalizando na Casa Zuzu Angel - Museu da Moda.

Cursos

Curso: Conservação de Acervos Históricos de Moda

Curso : Conservação de Acervos Históricos de Moda com a Profª Manon Salles! Introduzindo aos alunos abordagens sobre a roupa enquanto cultura material.

Cursos

Café da Zuzu - O luxo e o Glamour da Alta Costura a partir da Coleção Carmen Mayrink Veiga

Mesa redonda com a jornalista e Presidente do Museu da Moda Hildegard Angel e o Professor Flávio Bragança onde será debatido o universo da alta costura.